China pretende aumentar investimentos ecológicos

Mais investimentos ecológicos estão no radar da China, à medida que o país muda gradualmente em direção a uma fase mais institucionalizada de descarbonização, de acordo com uma pesquisa do Morgan Stanley.

“Esperamos que os formuladores de políticas aumentem o apoio aos investimentos ecológicos a partir de 2022 — como renováveis, rede inteligente, equipamentos de armazenamento de energia e atualizações de equipamentos de manufatura”, disse Robin Xing, economista-chefe do Morgan Stanley na China.

O ímpeto ecológico deve injetar um novo impulso na economia chinesa. O banco de investimento prevê uma recuperação em infraestrutura impulsionada pelo investimento verde e espera que o crescimento de investimento em infraestrutura se recupere para 4% no próximo ano.

A demanda por investimentos em manufatura também deve aumentar à medida que os fabricantes atualizam seus equipamentos para melhorar a eficiência energética, de acordo com o relatório. As projeções surgiram em meio aos esforços contínuos da China para descarbonizar, para lutar por céus azuis e mitigar o impacto das mudanças climáticas.

Em outubro, o país revelou uma diretriz abrangente para atingir suas metas de pico e neutralidade de carbono, assim como um plano de ação para atingir o pico de emissões de dióxido de carbono antes de 2030. A diretriz e o plano de ação constituem o projeto de política de nível superior para a descarbonização e especificam as metas e as medidas para as próximas décadas.

O Banco Popular da China, o banco central do país, também lançou uma nova ferramenta de empréstimo para redução de carbono no início deste mês, que visa fornecer empréstimos de baixo custo para instituições financeiras, a fim de fortalecer o apoio para a redução das emissões de carbono.

A diretriz de alto nível sobre o pico de carbono pede a alavancagem de uma combinação de políticas fiscais, financiamento ecológico e precificação de carbono, a fim de promover o desenvolvimento de indústrias verdes, segundo o relatório.

Espera-se que mais apoio político seja oferecido no próximo ano para as indústrias verdes em corte de impostos e taxas e na alocação mais ampla de cotas de títulos especiais do governo local para investimentos verdes.

Fonte: AXN
Foto: Divulgação

Deixe um comentário