I Fórum Permanente de Desenvolvimento Sustentável pretende integração entre entes e complemento ao modelo ZFM

Foto: Ramon Arcanjo/Sedecti

Nesta manhã desta segunda-feira (20), no Salão Rio Solimões, do Centro Cultural Palácio Rio Negro, no centro de Manaus, ocorreu o lançamento do I Fórum Permanente de Desenvolvimento Sustentável promovido pelo governo do estado do Amazonas por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti). O evento teve início nesta segunda (20) e vai até amanhã (21).

A programação conta com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e da Agência de Cooperação Técnica Alemã – GIZ, além da participação de instituições de todos os segmentos público e privado que promovem, direta e indiretamente, a economia do estado, assim como, a presença de empresas com potencial investidor.

A programação inclui a realização de palestras e exposições divididas em seis eixos: Polo Industrial de Manaus; Comércio, Serviço e Turismo; Serviços Florestais; Mineração, Óleo e Gás; Agropecuária Sustentável; Bioeconomia e Inovação.

A ideia de diversificação econômica exposta no fórum inclui atividades como a exploração do gás, potencialidade comprovada e em plena expansão e o manejo florestal que tem como diretriz a conservação da floresta e a produção sustentável.

O secretário da Sedecti, Angelus Figueira, destaca o caráter integrador do evento ao comentar que é um dos poucos projetos econômicos do estado com tantos atores envolvidos. “Ao discutir um problema relacionado a qualquer segmento, sempre há oportunidade de dar voz a vetores alternativos com o fim de encontrar a melhor solução”, justifica. Sobre o objetivo do fórum, ele acrescenta que além de fortalecer o modelo Zona Franca de Manaus, há o intuito de promover maior desenvolvimento do interior do estado com as ações propostas.

Gerente Industrial da Midea em Manaus, Clóvis Leite prestigiou o primeiro dia do evento visando o estreitamento das relações com as instituições presentes, networking em geral e reconheceu a necessidade de discutir temas que vão além do tema indústria/fábrica. “Essa ampliação de visão nos ajuda a tomar decisões mais acertadas quanto ao planejamento de médio e longo prazo, bem como entender melhor o impacto do nosso negócio no meio amazônico”. Clóvis classificou a qualidade dos palestrantes como de “altíssimo nível” e enfatizou que eventos como este devem ser fomentados com maior frequência.

O gerente comercial da Atem, Fagner Jacques, convidado ao evento, também parabeniza a organização do evento e diz que o estado dá um passo importante em complementariedade ao modelo da Zona Franca de Manaus, trazendo alternativas para o desenvolvimento não somente da capital, mas também do interior, cujo desafio é ainda maior quando se tem mais de 97% da floresta em pé. “A Atem atende a todos os municípios do estado e percebe que, de fato, precisamos encontrar novas vocações para o Amazonas além da ZFM”, diz o gerente.

296ª Reunião do CODAM

Na ocasião do mesmo evento, às 10hs, o Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codam) aprovou mais de R$ 1,5 bilhão em novos investimentos industriais para o estado. Presidida pelo governador Wilson Lima, a 296ª reunião do conselho aprovou 40 projetos industriais, com estimativa de criação de mais de 1,3 mil postos de trabalho e ocorreu durante o Fórum Permanente de Desenvolvimento Sustentável.

Dos projetos aprovados, 20 são de implantação, 17 de diversificação e três de atualização. Um dos destaques é o projeto da Oben Brasil LTDA, para investimento na produção de chapa, folha, tira, película, resina termoplástica, entre outros itens. O valor da aplicação é de R$ 761 mil. E a Inventus Power Eletrônica do Brasil teve seu projeto de fabricação de máquinas de transações financeiras aprovado.

Além da capital, a reunião aprovou projetos da Portela Comércio de Produtos Alimentícios Eireli, para o município de Lábrea, que vai produzir castanha beneficiada. Em Humaitá, o projeto aprovado é da empresa Pleno Indústria e Comércio de Ferragens e consiste na produção de estruturas de ferro para construção civil.

O titular da Sedecti, Angelus Figueira, disse que as próximas edições do Codam ocorrerão em intervalo menor, para que se possa ampliar o volume de propostas aprovadas.

“Estaremos abreviando as reuniões para diminuir prazo e aprovar mais projetos. Temos inúmeros projetos em curso, sendo analisados”, disse.

Agenda do 2º e último dia do evento21.06

08h30 às 09h30 – Quarto Painel: Mineração, Óleo e Gás – Avanços e Desafios.

09h30 às 10h30 – Quinto Painel: Agropecuária Sustentável – Avanços e Desafios.

11h às 12h – Sexto Painel: Bioeconomia e Inovação- Avanços e Desafios.

12h às 12h30 – Encerramento

Deixe um comentário