Porto de Parintins é interditado pelo Dnit, dois dias antes do Festival Folclórico

Prefeito tenta reverte a decisão que surpreendeu os locais, responsáveis pela estação portuária, por ter licença válida até 1º de julho de 2022.

A decisão de interditar o Porto de Parintins, a dois dias da abertura do Festival Folclórico, foi tomada pela administração portuária através do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Segundo informações preliminares, a medida é preventiva para evitar que ocorra algum tipo de deslizamento na plataforma durante o embarque e desembarque de passageiros, como aconteceu no Porto de Manaus na tarde da sexta-feira passada (17). Autoridades locais foram pegas de surpresa e tentam reverter esse situação. O número de brincantes esperado para a festa dos bois bumbas Caprichoso e Garantido é de 100 mil pessoas, sendo 50 mil previstas para desembarcarem no porto da ilha tupinambarana.

Foto: Divulgação/Antaq

Desde terça-feira (21), a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) iniciou a Operação Parintins. O objetivo é fiscalizar a prestação do serviço de transporte fluvial, sob sua responsabilidade, durante o período de realização do Festival Folclórico. A Agência também é responsável por garantir a eficiência da operação portuária na instalação pública do município durante o evento.

O festival será realizado este ano entre os dias 24 e 26 de junho, com a expectativa de receber mais de 60 mil visitantes e cerca de 220 embarcações. A Antaq fiscalizará as embarcações, na saída de Manaus, orientando os passageiros quanto aos seus direitos e deveres, e vistoriando, em conjunto com Marinha do Brasil, a segurança e a qualidade dos serviços.

De acordo com a Gerência Regional da Antaq em Manaus, 90% do público do festival chega por via fluvial e, também, utiliza o modal como acomodação durante o período de realização do evento.

A operação seguirá até o dia 28 de junho e contará com agentes da autarquia que atuarão no porto público durante todo o período do evento, atendendo as demandas dos usuários quanto à manutenção da qualidade dos serviços, recebimentos de denúncias e solução de conflitos. 

Além da Antaq, também participam da operação o Dnit, a Marinha, Arsepam e a prefeitura de Parintins.

Direitos e deveres dos passageiros

Para garantir que os usuários do transporte aquaviário tenham uma qualidade melhor no serviço oferecido pelas empresas, a Agência dispõe uma cartilha contendo as orientações sobre os direitos e deveres dos passageiros.

*Com informações da Antaq

Fotos: Divulgação

Deixe um comentário